Produtos

A Automatronic oferece diversificada linha de equipamentos para controle de potência e automação com alto padrão de qualidade e tecnologias avançadas. Supera as necessidades de seus clientes proporcionando resultados inovadores e eficazes.


ARTA 35 - ARTA 50

Regulador de Tensão Analógico

ARTA 35 - ARTA 50

O ARTA 35 ou ARTA 50 – Regulador de Tensão Analógico - Excitatriz Estática 35 – 50A, foi desenvolvida para efetuar o controle de tensão em geradores elétricos, com ênfase em modelos que operam com sistema escovas de excitação.

A excitatriz apresenta um circuito de controle que monitora a tensão das bobinas do gerador, comparando a mesma a uma referencia fixa ajustada via trimpot “Volt”. O controle está associado ao circuito de potencia, composto por semicondutores, o qual atua instantaneamente sobre o sistema de excitação do gerador, corrigindo as oscilações apresentadas pelo sistema, mantendo a tensão das bobinas do gerador igual a tensão ajustada de referencia. A velocidade de resposta da excitatriz é ajustada via trimpot “Est.”. Estes ajustes permitem que a excitatriz seja aplicada a uma ampla gama de geradores.

Visando a operação desta excitatriz em paralelo com outros grupos geradores e/ou concessionária, a mesmo apresenta circuito para compensação de reativos “droop”. O droop é ajustado via trimpot permitindo uma compensação de 15% da tensão.

O ajuste da tensão de referencia apresenta alguns periféricos que permitem seus ajustes externos. Estes periféricos estão dispostos para que equipamentos externos a excitatriz, que necessitem ajustar o nível de tensão do gerador para alguma determinada finalidade, possam estar fazendo através das entradas analógicas ou digitais.

A excitatriz dispõe do limitador volts/hertz, para auxiliar na proteção da mesma bem como do gerador.

Opera nas faixas de freqüência de 50Hz e 60Hz e dispõe de leds para indicar os principais sinais da excitatriz.

Apresenta robustez a sistemas expostos a vibração, maresia e umidade, devido a agentes químicos utilizados no equipamento.

No desenvolvimento do produto, foi pensando na comodidade de uma excitatriz que possa operar em vários grupos geradores alem de permitir a aplicação a vários sistemas onde a automação esteja presente.

Características Funcionais:

A Excitatriz, tem por finalidade controlar a tensão do gerador afim de compensar perdas e ganhos de cargas, assim como operar em sincronismo com outros geradores e/ou concessionária. Para isso, compara a referencia ajustada via trimpot ou periféricos externos com a tensão das bobinas do gerador. Essa comparação gera um erro, o qual e atribuído ao circuito de PWM. Este circuito e responsável pelo disparo do tiristor da unidade de potencia, o qual atua diretamente e instantaneamente sobre o sistema de excitação do gerador. O erro gerado da comparação faz com que aumente ou diminua o duty cicle do PWM, ocasionando uma diminuição ou aumento da corrente de excitação. Para que a resposta as condições de carga sejam eficazes, a excitatriz possui um ajuste de estabilidade dinâmica via trimpot o qual ira somar ao circuito de PWM.

Visando evitar desgastes ao gerador e excitatriz, está disposto o limitador volts/hertz, o qual tem por finalidade evitar sobre corrente de excitação, quando a freqüência do gerador baixa em relação a nominal. Sendo assim ao atingir o valor ajustado entra numa curva que faz com que diminua a excitação conforme baixar a freqüência do gerador. Esse limitador se faz bastante útil no momento de parada do gerador para que a excitatriz não tente compensar a queda de freqüência para manter a excitação, assim podendo elevar a corrente de excitação a valores superiores aos aplicáveis ao gerador.

As entradas analógicas e digitais possibilitam a excitatriz operar em conjunto com outros equipamentos. As configurações da entrada analógica permitem que a excitatriz receba sinal de tensão ou corrente CC para que se possa variar a tensão de referencia. Na entrada digital qualquer equipamento que disponha de contatos secos pode acionar a mesma a fim de variar a tensão de referencia. Estas entradas têm entre suas diversas finalidades operar junto a equipamentos controladores de potencia, sincronoscopios, clp's entre outros.

 Características Técnicas:

  • Tensão de alimentação da potência: 88 - 132Vca ou 187 - 295Vca monofásicos (versões distintas de hardware);
  • Tensão de realimentação: 88 - 132Vca e 187 - 295Vca ou 187 - 295Vca e 323 - 506Vca monofásicos (selecionável dip switch em versões de hardware distintas);
  • Corrente de excitação nominal (máx.): 35A ou 50A;
  • Corrente de excitação pico máximo (1 min): 30% da nominal;
  • Tensão de excitação máxima: 45% da tensão de alimentação (meia onda);
  • Fusível de proteção interno: 35A ou 50A conforme versão da excitatriz;
  • I²T dos módulos de potência: 8000 para 35A e 15000 para 50A;
  • Ajuste de tensão interno: +/- 15% via trimpot;
  • Ajuste de tensão externo: +/- 15% via potenciômetro;
  • Ajuste de estabilidade interno: via trimpot;
  • Ajuste de U/F (Volts/Hertz) interno: via trimpot;
  • Ajuste de droop interno: 15% de compensação via trimpot (TC Par/5A);
  • Frequência de operação: 50 Hz ou 60 Hz selecionável por jumper;
  • Entrada analógica de tensão: +/- 10% variação de referência +/- 9Vcc e 0 a 10Vcc (selecionável por dip switch em versões de hardware distintas);
  • Entrada analógica de corrente:  +/- 10% variação de referência, 4 a 20mA ou 0 a 20mA (selecionável dip switch em versões de hardware distintas);
  • Entrada digital: +/- 10% variação de referência, contato seco, incrementa e decrementa referência;
  • Led indicativo de regulador ligado: verde;
  • Led indicativo de U/F atuando: vermelho;
  • Temperatura de operação: 0ºC a 60ºC;
  • Fixação: fundo de painel;
  • Peso: 3 Kg;
  • Envólucro: alumínio;
  • Proteção contra umidade: verniz.